Cinesioterapia.com

A cura pelo movimento.

Objectivos

As técnicas ativas têm um lugar de destaque em quase todos os estágios dos tratamentos reeducativos Na verdade toda motricidade recorre a três processos:

Cada um desses processos ou de suas conseqüências pode-se constituir em um objetivo da cinesioterapia ativa.

Uma articulação pode ser mobilizada, melhorando-se a inibição de sua cartilagem pela contração dos músculos maiores que a cruzam. Em semelhantes casos, convém todavia levar em conta o conjunto das contrações induzidas por essa atividade, escolher com precisão a posição dos segmentos,a intensidade da força e o tipo de deslocamento mais adaptado à situação A preocupação aqui é somente de ordem biomecânica.

Uma vascularização arterial defeituosa (do músculo cardíaco ou dos músculos dos membros) pode corresponder favoravelmente a um programa de treinamento ativo, meIhorando-se a capacidade que as células musculares têm de captar o oxigênio arterial. O processo bioquímico é portanto, essencialmente interessante em face dessa patologia.

Uma lesão do sistema nervoso central que se traduza por um distúrbio da atividade motora justifica um tratamento com finalidade de educação ou de reeducação do gesto. 0 processo envolvido é então neuro e psicomotor.

Os passos

Os passos em cinesioterapia nem sempre são tão caricaturais, com freqüência vários processos são conjugados no decorrer de um mesmo gesto terapêutico. Um exemplo muito simples é fornecido pelo tratamento efetuado durante a fase de imobilização por gesso de uma fratura. É possível que se desencadeiem contração musculares automático-reflexas por solicitações de outros músculos à distância (processo neuromotor); a atividade muscular assim mantida limita em certa medida a amiotrofia (processo bioquímico), além de induzir tenções, contrações músculo-endineas, câpsulo-ligamentares controlar em função da fragilidade óssea. Igualmente em um quadro de desequilíbrio da coluna vertebral em um primeiro momento, convém pensar em realizar o movimento corretivo em função de elementos biomecânico; em seguida em um segundo, procurar automatizar essa correção recorrendo-se aos processos de aprendizagem psicomotores.

Trata-se, portanto de passos terapêuticos freqüentes complexos que exigem a análise de todos os elementos da problemática suscitada pela anátomo-fisiopatologia.